Trabalho publicado no Pediatrics, analisando o impacto da fumaça de cigarro de forma passiva no período pré e pós natal na criança do nascimento até a adolescência. Published online August 18, 2014; (doi: 10.1542/peds.2014-0427), artigo original em inglês, clique aqui

Exposição pré e pós-natal ao tabagismo dos pais e doenças alérgicas até a Adolescência

Jesse D. Thacher, MPHa, Olena Gruzieva, MD, PhDa,Göran Pershagen, MD, PhDa,b, Åsa Neuman, Da,c,Magnus Wickman, MD, PhDa,d, Inger Kull, RN, PhDa,d,e,Erik Melén, MD, PhDa,d, and Anna Bergström, PhDa

OBJETIVOS: analisar o papel da exposição passiva à fumaça de tabaco (EPF) pré-natal e pós natal sobre a asma, rinite e eczema com desenvolvimento até 16 anos de idade.

MÉTODOS: Um estudo tipo coorte de 4089 crianças desde o nascimento foi seguido por 16 anos. As informações sobre os hábitos dos pais tabagistas, fatores de estilo de vida e os sintomas da doença alérgica foram recolhidos através de seqüências de questionários para os pais.No estudos foi avaliado as associações gerais e específicas por idade entre exposição ao fumo passivo e doenças alérgicas nas idades de 1 a 16 anos.

RESULTADOS: A exposição ao fumo passivo no útero foi associada a um risco elevado de desenvolver asma em geral até aos 16 anos (odds ratio [OR] = 1,45, 95% intervalo de confiança [IC], 1,15-1,83), mas não para a rinite ou eczema. Após o ajuste adicional para o tabagismo dos pais durante a infância, o excesso de riscos globais para a asma manteve-se estatisticamente significativa. Além disso, foi observado um padrão dose-dependente com EPF. A exposição ao fumo passivo na infância estava associado a um risco global elevado de asma (OR = 1,23, 95% CI, 1,01-1,51), rinite (OR = 1,18, 95% CI, 1,01-1,39) e eczema (OR = 1,26; 95% CI, 1,09-1,45) até 16 anos. Quando as associações específicas por idade foram examinados, os riscos elevados relacionados com a exposição ao fumo passivo no útero ou durante a infância estavam confinadas principalmente na primeira infância para a asma e rinite, enquanto o excesso de risco de eczema apareceu maior em idades posteriores.

CONCLUSÕES: Nossos resultados indicam que a exposição precoce EPF, no útero ou durante a infância, influencia o desenvolvimento da doença alérgica até a adolescência. Um risco excessivo para asma e rinite foi visto principalmente na primeira infância, enquanto aqueles para eczema ocorreu em idades posteriores.

 Artigo original em inglês clique aqui

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s